domingo, 22 de outubro de 2017

USE OS RECURSOS QUE VOCÊ TEM (C. Ponder)



Resultado de imagem para recursos



Use Os Recursos Que Você Tem



Outra maneira de se invocar a lei do vácuo para a prosperidade é a de não se negar em usar os recursos que se têm, abrindo caminho para que as novas riquezas afluam. Contudo, você deve proceder assim com uma determinada postura mental, a fim de produzir resultados fecundos.



Se, aparentemente, você não tiver o suficiente para satisfazer às suas necessidades, ou quando você sente que há algo impedindo que você alcance uma situação mais próspera, procure controlar a situação, os seus sentimentos e os seus pensamentos.  Ao invés de se sentir desamparado, desprotegido, ou com pena de si mesmo,  dirija aos problemas financeiros que você tem o seguinte:  Paz, acalmai-vos.



Pegue na sua carteira, no seu livro de cheques ou qualquer outra coisa que possa representar sua situação financeira, e diga: Vocês estão cheios da rica generosidade divina que irá agora suprir todas as minhas necessidades. É o momento de você ser intrépido e corajoso e usar todos os recursos que tem no momento. Se tem contas a pagar, não espere até ter “dinheiro suficiente” para saldá-las. Tenha fé, vá em frente e pague aquelas que você pode. Isso fará com que os recursos que você tem se desdobrem e sejam impelidos, a fim de poderem vir multiplicados!

As Leis Dinâmicas da Prosperidade- C. Ponder












ERGA OS OLHOS! PARA A PROSPERIDADE!! (C. Ponder)

Resultado de imagem para prosperidade

Erga Os Olhos! Para a Prosperidade



A esta altura, é importante estabelecer e manter uma atitude próspera, como se a generosidade divina já tivesse se manifestado completamente. Agora não é hora de se falar em falta de dinheiro, de não gastar ou de ficar extremamente econômico. Ao contrário, você deve gastar tudo o que você tem até o último tostão, se for necessário. Se agora você quiser economizar, ou falar em falta de dinheiro, isto lhe custará o dobro. Ao contrário, erga mentalmente os olhos e dê graças pelos recursos que você ainda tem agora. Então, corajosamente gaste-os com renovado vigor e com fervorosa acção de graças. Diga, alegremente: Esta é a generosidade divina e eu a deixo fluir com toda sabedoria e alegria. Quando você “ergue os olhos”, sem levar em conta as aparências, você estará sendo sempre protegido.



Talvez a pessoa que mais me ensinou a lei do vácuo para a prosperidade, tenha sido uma dona-de-casa que sempre “erguia os olhos”, gastando tudo o que tinha em sua carteira, corajosamente, e ela sempre tem, em abundância em tudo o que necessita.

Há alguns anos atrás, ela quis embelezar a igreja a serviço da qual eu, então, estava. Ela veio pacatamente a mim, e deu sugestões para várias melhorias que gostaria de fazer, assegurando-me que tinha “fundos particulares” para tal. Somente meses depois eu soube de que os “fundos particulares” era o dinheiro que ela tinha para comprar mantimentos, o qual ela generosamente usou para comprar lindos objectos para a igreja.

Daquela maneira, ela começara a deixar fluir, corajosamente, o dinheiro que tinha. À medida que ela continuava a “erguer os olhos”, ela ia resolvendo os seus problemas financeiros. As novas fontes de renda foram aparecendo para ela e para o seu marido, da maneira mais inesperada possível, tanto é que pela primeira vez na sua vida, ela pode contratar uma empregada, recebeu um carro de presente e uma nova mesada mensal.



Em relação à redecoração da igreja, os donativos cresceram como uma “bola de neve”. E muitos outros donativos chegaram, tudo porque uma dona-de-casa teve a coragem de serenamente “erguer os olhos” e usar os recursos que tinha – mesmo sendo aqueles recursos destinados à compra de mantimentos. Às vezes, fico emocionada ao pensar na fé que aquela mulher tinha na lei do vácuo para a prosperidade e dos últimos resultados que ela continua tendo. Ela sempre diz que nunca mais teve dificuldades financeiras.

ATITUDES CERTAS PAGARÃO SUAS DÍVIDAS: " O SENHOR É MEU PASTOR E NADA ME FALTARÁ!"



Resultado de imagem para Pagando dívidas com ajuda de Deus

Atitudes Certas Pagarão Suas Dívidas



Agora, a fim de ajudar você a ficar seguro quanto às importantes atitudes a tomar para a prosperidade, de que Deus é a Fonte da subsistência do homem como Criador deste rico universo e de que, portanto, ele deseja para você as riquezas do universo, sugiro parafrasear as palavras do Senhor Deus a Moisés: “Eu me lembrarei do Senhor Deus, pois foi ele que me deu a capacidade de descobrir riquezas.”



Você pode estar pensando: “Sim, mas será esse um modo prático de pensar?”

Poderão, realmente, essas atitudes ajudarem a calçar criancinhas, a pôr comida na mesa e a pagar a renda? Sim, elas podem!



Há pouco tempo conversei com uma jovem senhora, que parecia ter tudo contra ela. Quando atacada por uma paralisia, seu marido, bêbado, jogador compulsivo, e sem emprego, abandonou-a, deixando-a com vários filhos para sustentar e educar. A casa que tinham estava hipotecada. Por lei, o marido fora obrigado a lhe dar uma pequena pensão mensal para o sustento dos filhos, a qual, no entanto, não chegava para fazer frente às suas necessidades. Apesar disso, todas as vezes que eu visitava essa mulher, que estivera confinada ao leito por muitos meses e que agora estava presa a uma cadeira de rodas, ela alegremente me contava sobre a ajuda que ela estava recebendo de todo mundo.



Certa vez ela me contou que tinha ganhado uma enorme quantidade de alimentos enlatados que iria deixá-la suprida por muitos meses; que havia recebido dinheiro de uns parentes que moravam num Estado distante para comprar roupas para as crianças; que as contas de seu médico estavam sendo pagas por uma amiga que estava no Exterior e que, na verdade, eles não estavam passando por nenhuma necessidade. Ela também tinha ganhado tinta para pintar a parte externa de sua casa e um vizinho já estava activamente se ocupando disso.



Quando lhe perguntei o seu segredo para conseguir tudo isso e como ela tinha podido pagar pontualmente as suas contas, embora presa a uma cadeira de rodas e sem uma renda boa e segura, ela me respondeu que uma determinada prece tinha sido sua grande fonte de força e de suprimento: todas as vezes que uma necessidade financeira estava iminente ela meditava sem cessar sobre a seguinte promessa do  Salmo 45: Cessai, reconhecei que Eu Sou Deus.



Certa ocasião, o pagamento da hipoteca da casa, no valor de $ 40,00, estava para vencer. Como ela não tivesse nenhum centavo, começou, mentalmente, a dizer o seguinte: Cessai, reconhecei que Eu Sou Deus. Cessai, reconhecei que Eu Sou Deus e que estou, agora, tentando resolver essa situação embaraçosa. Por volta do meio-dia ela sentiu uma sensação de calma e parou de meditar. Cerca de uma hora depois, enquanto um parente lhe servia o almoço, entrou um vizinho, que colocou algum dinheiro em sua mão, dizendo: “Estivemos pensando em você na Escola Dominical. Havia um dinheiro extra na tesouraria e decidimos compartilhá-lo com você.” A quantia que ele lhe deu, era $ 40,00 que estava precisando!



Essa mulher, tendo reconhecido Deus como a Fonte de seu suprimento, provou que essa fonte nunca a desamparava mesmo nas piores circunstâncias, seja quanto à sua saúde precária, seja quanto ao seu infeliz casamento, seja quanto à sua instabilidade financeira. É lógico que seu grande desejo é ser auto-suficiente e financeiramente independente para não precisar dos favores de parentes, vizinhos e amigos. Sem dúvida alguma, ela conseguirá o seu desejo, à medida que perseverar em ter um pensamento promissor. Agora, após muitos anos, ela está recomeçando a andar e, logo estará em condições de também poder trabalhar. Entre mentes, ela está provando que o maravilhoso auxílio divino pode aparecer das mais imprevistas maneiras para fazer frente às necessidades do momento, por mais difíceis que sejam as circunstâncias.



O Salmista estava reconhecendo Deus como a Fonte de seu suprimento, quando dizia: O Senhor é meu Pastor, nada me faltará. Esta é uma excelente prece para a prosperidade e para ser repetida inúmeras vezes. Uma dona de casa necessitava de €100,00 para pagar duas contas que iriam vencer no fim de semana. No início da semana, todas as vezes que começava a ficar apreensiva sobre os meios que teria para saldar as contas, ela dizia, repetidas vezes: O Senhor é meu Pastor, nada me faltará. Na sexta-feira pela manhã, no dia do vencimento, chegou um cheque pelo correio no valor de €110,00. Era de uma companhia para a qual seu marido havia trabalhado vários anos. O cheque vinha acompanhado de uma carta explicando que eles tinham acabado de “constatar” na conta de seu marido que eles ainda lhe deviam aquela importância e estavam, portanto, enviando aquele cheque para fechar sua folha de serviços.

As Leis Dinâmicas da Prosperidade-C. Ponder)